Notícias

Fehoesg assina carta de apoio à LGPD e de pedido para a estruturação rápida da ANPD

 

Assinado com entidades de diversas áreas de atuação, documento mostra que a LGPD não será aplicada de forma tão eficaz sem a existência de um órgão regulador


A Fehoesg, em conjunto com diversas entidades com atuação em vários ramos, assinou a carta “Frente Empresarial em Defesa da LGPD e da Segurança Jurídica”, em que demonstra apoio à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), nº 13.709, que é vista como um avanço para a segurança jurídica e para o desenvolvimento do Brasil.


Porém, as instituições alertam para a problemática de aplicação da lei, que já está em vigor, sem a existência concreta da Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais (ANPD), que será o órgão regulador.


Apesar do avanço com o Decreto 10.474, que definiu a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções de Confiança da ANPD, ainda é preciso conhecer os cinco membros do Conselho Diretor da ANPD. Eles serão indicados pela Presidência da República e, em seguida, sabatinados e aprovados pelo Senado Federal.


De acordo com as entidades que assinaram a carta, a inexistência da ANPD irá gerar múltiplas interpretações da lei, o que pode acarretar em insegurança jurídica e “milhares de ações judiciais que poderiam ser dirimidas em boa parte dos casos por instruções e orientações prévias da Autoridade competente”, como afirmado no documento.


Além disso, foi ressaltada a importância de que a ANPD seja um órgão com atributos técnicos. Isto é, tanto o Conselho Diretor quanto todas as outras equipes devem ser compostas por profissionais com expertise técnica, principalmente em áreas, como ciência de dados, governança de dados, segurança da informação e desenvolvimento da economia digital, entre outras.


A prorrogação das sanções administrativas


A carta assinada pela Fehoesg também aborda a prorrogação das aplicações de sanções administrativas, a quem não cumprir a LGPD, para o dia 1º de agosto de 2021. É lembrado que, apesar desse período de tempo definido, ainda é possível aplicar penalidades e ressarcimentos no setor público e privado, como pelos Ministérios Públicos ou pelo Sistema Nacional de Proteção do Consumidor.


Porém, as entidades reconhecem que essas medidas de punição podem ser cheias de incertezas enquanto ainda não há a criação efetiva da ANPD. Afinal, os artigos 54 e 55-J da LGPD garantem à Autoridade a exclusividade na aplicação das sanções.


Por isso, as instituições terminam a carta pedindo para que o diálogo a respeito da criação da ANPD avance de forma rápida e com consenso nacional.

Baixar arquivo


Assessoria de Comunicação - Fehoesg - 23/09/2020

 

Newsletter

Casdastre-se para receber nossos informativos:

 

Federação dos Hospitais do Estado de Goiás

Rua 24 nº 202, Qd 77 Lt 26, Setor Central
CEP 74030-060 - Goiânia - Goiás

 

Telefone:(62)3093-4309

 

[email protected]

GOsites