Informativo FEHOESG NOTÍCIAS

FEHOESG NOTÍCIAS Nº 85 (10/05/2017)

FEHOESG NOTÍCIAS
Informativo da Federação dos Hospitais, Laboratórios, Clínicas de Imagem e  Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado de Goiás
Ano 4 Nº 85 10/05/2017

 

Sindhospi e Seessego assinam Convenção Coletiva de Trabalho

O presidente do Sindhospi, Saulo de Tarso Menezes, informa que foi assinada a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2017/2019 firmada com o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Goiás (Seessego) e aplicada aos empregados e estabelecimentos enquadrados na categoria nos municípios de Amorinópolis, Aragarças, Arenópolis, Bom Jardim de Goiás, Caiapônia, Diorama, Firminópolis, Iporá, Israelândia, Piranhas e São Luís De Montes Belos.


Confira o que diz a cláusula referente à remuneração e para obter cópia do documento completo, acesse o site da Fehoesg (www.fehoesg.org.br) e clique no ícone “Convenções Coletivas”.

Fica assegurado a todos os empregados beneficiados pela presente Convenção Coletiva de Trabalho um aumento de 6% (seis inteiros por cento), que incidirá sobre os salários de 01 de abril de 2016, a vigorar a partir de 01 de abril de 2017.

Parágrafo Primeiro - Fica assegurado aos profissionais abaixo relacionados o salário mínimo profissional nos seguintes valores:

Técnico de Enfermagem R$ 1.173,00
Auxiliar de Enfermagem R$ 1.013,00
Recepcionista R$ 1.034,00
Serviços Gerais R$ 1.013,00

Parágrafo Segundo - Ficam assegurados os descontos das antecipações salariais referentes ao período de 01/04/16 à 31/03/17.

Qualquer dúvida, entre em contato com a Assessoria Jurídica da Fehoesg pelo telefone (62) 3093-4309 ou e-mail juridico@sindhoesg.org.br

 

SUS não incorpora radioterapia de intensidade modulada para o tratamento inicial de tumores de cabeça e pescoço
 

O Ministério da Saúde, por meio da Portaria MS / SCTIE Nº 16, assinada em 11 de abril de 2017 e publicada no Diário Oficial da União número 71, que circulou em 12 de abril, tornou  pública a decisão de não incorporar, como procedimento específico, a radioterapia de intensidade modulada (IMRT) para o tratamento de tumores de cabeça e pescoço em estágio inicial e localmente avançado no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Clique aqui e confira a Portaria número 16.

 

IFL e Cremego debatem as novas atribuições e o papel dos diretores técnicos e clínicos na segurança do paciente
 

Com a participação de representantes de unidades de saúde públicas e privadas da capital e do interior do Estado, o Cremego e o Instituto Francisco Ludovico (IFL) realizaram, no dia 5 de maio, o workshop “O papel dos diretores técnicos e dos diretores clínicos na segurança do paciente”. Um dos temas em pauta foi a nova resolução do Conselho Federal de Medicina, que entrou em vigor em 24 de abril e define novos critérios para a atuação de médicos que ocupem cargos de diretor técnico e clínico nos estabelecimentos de assistência médica, atribuindo a esses profissionais a responsabilidade de atuar com objetividade na manutenção da qualidade da assistência médica e garantia de condições técnicas para o exercício ético da profissão.

O diretor de Fiscalização do Cremego, João Anastácio Dias, falou sobre a Resolução CFM nº 2.147/2016, que vale para instituições públicas e privadas, inclusive planos de saúde, e estabelece, por exemplo, que cabe ao diretor técnico organizar as escalas de plantão, zelando para que não haja lacunas, e solucionar a ausência de plantonistas.

Também palestrante do evento realizado na sede do Cremego, o superintendente em Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia, Robson Azevedo, destacou a importância do papel dos diretores técnicos e clínicos na segurança do paciente. “O diretor técnico, um profissional que já atua em todas as unidades de saúde, é responsável por garantir o bom funcionamento técnico da unidade, o desempenho ético da medicina e por discutir as políticas de saúde para o estabelecimento, protegendo a população”, exemplificou.

Presidente do IFL e do Cremego, Leonardo Mariano Reis, falou sobre a importância do workshop. “O Cremego tem a obrigação de trazer à classe médica e a comunidade de forma geral uma educação continuada sobre as responsabilidades dos diretores para que todos saibam quem procurar em momentos de dificuldades no atendimento”, afirmou, acrescentando ser o workshop uma transferência de conhecimento e uma atualização com relação a essas responsabilidades dos diretores.

Aberto a diretores técnicos, clínicos, gestores e chefes de serviços de unidades de saúde públicas e privadas, o workshop também abordou a importância dos diretores na implementação do Programa de Gerenciamento de Tecnologias (PGT) em saúde com foco na segurança do paciente. O engenheiro Cesar Fonseca Lima, do Instituto Francisco Ludovico, explicou como desenvolver o PGT com os profissionais de saúde das organizações.
 

Confira abaixo alguns dos destaques da Resolução CFM nº 2.147/2016
 

No caso de diretor técnico (instituição pública ou privada), entre outros:
 

1. Zelar pelo cumprimento das disposições legais e regulamentares em vigor.
2. Assegurar condições dignas de trabalho e os meios indispensáveis à prática médica.
3. Organizar as escalas de plantão, zelando para que não haja lacunas.
4. Solucionar a ausência de plantonistas.
5. Não contratar médicos formados no exterior sem registro nos Conselhos de Medicina.

 

No caso do diretor clínico (instituição pública ou privada), entre outros:
 

1. Assegurar que todo paciente sob regime de internação seja atendido por um médico assistente.
2. Supervisionar as atividades de assistência médica.
3. Exigir da direção técnica condições de trabalho.
4. Assegurar a acadêmicos e residentes condições de exercer suas atividades com os melhores meios de aprendizagem.
5. Organizar os prontuários dos pacientes.

 

No caso de diretor técnico de planos de saúde, seguros-saúde, cooperativas médicas e prestadoras de serviço em autogestão, entre outros:
 

1. Zelar pelo cumprimento dos contratos de seus credenciados.
2. Assegurar adequadas condições físicas e ambientais oferecidas pelos seus contratados aos pacientes.
3. Zelar pela qualidade dos serviços prestados quanto a materiais, insumos etc.
4. Garantir a apresentação de justificativa por itens glosados em faturas.
5. Assegurar a realização de auditorias de procedimentos médicos apenas por auditores médicos.
6. Garantir reajustes de honorários acordados entre médicos e operadoras de planos.

 

Sindimagem promove curso de primeiros socorros para colaboradores
 

Colaboradores de clínicas filiadas ao Sindimagem participaram, no dia 5 de maio, de uma palestra sobre Primeiros Socorros. A palestra foi ministrada no auditório do Sindhoesg pelo enfermeiro Ítalo Oliveira, que é graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás, pós-graduado em Unidade de Terapia Intensiva pelo CEEN/ PUC Goiás, pós-graduado em Gestão em Enfermagem pela Unifesp, enfermeiro do Hospital do Coração e do Centro de Reabilitação e Readaptação Henrique Santillo. O objetivo foi orientar os colaboradores para a prestação de primeiros socorros, um atendimento que pode ser necessário a qualquer momento.

 

Higienização em Sistemas de Ar-condicionado para Saúde Hospitalar é tema de seminário do IFL

Em ambientes fechados e em localidades de temperaturas mais altas, como as registradas em Goiás, a instalação de sistemas de climatização já se tornou quase obrigatória. Mas, para garantir a eficácia e, principalmente, a segurança dos aparelhos de ar-condicionado é preciso muita atenção quanto à higienização destes equipamentos. Em unidades de saúde, esse cuidado se faz ainda mais necessário para assegurar a qualidade do ar e afastar os riscos de disseminação de doenças de transmissão aérea.

Para orientar administradores hospitalares, gestores da área de saúde, médicos, enfermeiros, responsáveis pelas Comissões de Controle de Infecção Hospitalar, gestores da qualidade, profissionais das áreas de manutenção e operação de sistemas de ar-condicionado, engenheiros e técnicos de segurança do trabalho, biólogos, químicos e outros profissionais da área da saúde sobre a correta higienização destes sistemas, o Instituto Francisco Ludovico (IFL) promoveu, no dia 28 de abril, o Seminário de Higienização em Sistemas de Ar-condicionado para Saúde Hospitalar, que teve o apoio da Fehoesg.

Realizado no auditório do Sindhoesg, o seminário reuniu mais de 50 representantes de unidades de saúde goianas, além de técnicos da Vigilância Sanitária e a auditora-fiscal da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Goiás, Jacqueline Carrijo. Os palestrantes - engenheiro Leonardo Cozac e José Renato Marchiori - abordaram temas, como aspectos legais da qualidade do ar interno, a elaboração, implantação e gerenciamento do Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC) e a administração de hospitais e a qualidade do ar interno.
 

IFL ministra curso sobre gerenciamento de conflitos para colaboradores da Clínica São Matheus


Colaboradores da Clínica São Matheus, que exercem funções de liderança, participaram, no dia 28 de abril, do treinamento “Gerenciamento de Conflitos em Instituições de Saúde”, ministrado pelo palestrante do Instituto Francisco Ludovico (IFL), Hernani Vaz Krüger. Professor, mestre e consultor em Gestão de Saúde, diretor da Sociedade Brasileira de Hotelaria Hospitalar - DF/GO e especialista em Administração Hospitalar, ele observou que o gerenciamento de conflitos em instituição de saúde é uma prerrogativa da gestão, que envolve conceitos diversos.

A identificação e o aprimoramento das relações entre os clientes internos e externos e a definição e desenvolvimento de ações preventivas são formas de minimizar os conflitos, melhorar o atendimento e a produtividade. Durante a palestra, realizada na Unidade I da Clínica São Matheus, em Goiânia, Hernani Vaz Krüger reforçou os conceitos de liderança e trabalho em equipe, ressaltando que o líder deve intermediar as situações conflitantes, advindas de escolhas e posicionamentos diferentes, mudanças situacionais, tensões, choques de personalidade e exigências de familiares e colegas.

“A atuação do líder é imprescindível para a gestão dos conflitos através da avaliação das situações e do emprego de abordagens ideais”, afirmou, enfatizando que agregando valor às relações externas e internas, controlando as situações conflituosas, através de uma boa liderança e o trabalho em equipe, é possível alcançar um ambiente harmonioso, onde todos ganham.

Estabelecimentos de serviços de saúde interessados em solicitar as palestras e cursos oferecidos pelo Instituto podem entrar em contato com o IFL pelo telefone (62) 3093-4310 ou pelo e-mail iflcursos@iflcursos.com.br. Para conferir outros cursos ministrados, acesse www.iflcursos.com.br.

 

 

 

 

 

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

 

 

 




FEHOESG NOTÍCIAS
Informativo da Federação dos Hospitais, Laboratórios, Clínicas de Imagem e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado de Goiás
Ano 4 Nº 85 10/05/2017
Rua 24, 202, Centro – Goiânia (GO)
Fone (62) 3093 4309
Presidente: Dr. Carlos Alberto Ximenes
Jornalista Responsável: Rosane Rodrigues da Cunha - MTb 764/JP-GO
imprensa@fehoesg.org.br (62) 9 9903 0935
www.fehoesg.org.br


Assessoria de Comunicação - Fehoesg - 09/05/2017

 

Newsletter

Casdastre-se para receber nossos informativos:

 

Federação dos Hospitais do Estado de Goiás

Rua 24 nº 202, Qd 77 Lt 26, Setor Central
CEP 74030-060 - Goiânia - Goiás

 

Telefone:(62)3093-4309

 

fehoesg@fehoesg.org.br

GOsites